A Maria devemos também nossa salvação

Maria se faz presente em nossas necessidades, alegrias e sofrimentos

Maria entregou-se a uma crucificação que não durou algumas horas – terríveis horas – como a de Jesus, mas se estendeu por 33 anos. Fez isso por absoluta entrega à vontade de Deus e também por um amor inimaginável por nós! Por isso, devemos também a ela nossa salvação.

Se ela não foi a autora da reconciliação, ela foi um instrumento indispensável, pois Jesus teria de passar pela experiência carnal, humana, para nos trazer a Nova Aliança. Se Maria foi capaz de tão grande amor, de tamanha bondade, por que não haveria de interceder por nós, que também somos seus filhos na condição de “irmãos mais novos” do Primogênito?

Em nossas necessidades e tribulações, nas alegrias e nos sofrimentos, experimentamos esse amor incondicional de Mãe. Esse amor de alguém que, desde o primeiro pulsar do coração de Jesus em seu ventre, entregou-se totalmente à vontade de Deus.

Em nosso caminho vitorioso até a cruz, temos em Maria mais do que um exemplo eloquente de entrega à vontade divina. Temos um exemplo de conhecimento de Deus, de fé e do maior de todos os frutos do Espírito: o amor.

Deus nos abençoe.

Seu irmão,

Wellington Jardim (Eto)
Cofundador da Comunidade Canção Nova e administrador da FJPII

Adquira os livros de Wellington Jardim (Eto):

Animados    Administrar    Se Deus

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.