O valor de um “filho de Deus” não tem preço

Aquele que é filho de Deus sabe que não pode se vender por nenhum valor

O dinheiro sujo é podre, e quando cai na nossa mão ou no nosso bolso, apodrece o coração. Como podemos então chegar diante de Deus? Como se ajoelhar diante do Santíssimo Sacramento para adorá-lo e pedir-lhe as graças de que precisamos? Jesus nos faz uma pergunta inquietante: “De que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro se vier a perder a sua alma?”. Todo homem tem seu preço.

Cada um se vende pelo valor da sua dignidade. Aquele que é filho de Deus sabe que não pode se vender, porque o seu valor de um “filho de Deus” não tem preço. Ao contrário, aquele que aceita se vender e se deixa corromper, perde a dignidade infinita. Na nossa ambição, não medimos como ganhar. Então, acontece o roubo, a corrupção, a desavença, e não sabemos como administrar isso.

Vivemos com medo dos escândalos e não temos paz, porque a consciência pesa. Podemos enganar e roubar todo mundo, mas não conseguimos calar a voz suave da consciência, que é a voz de Deus. E se calamos essa voz, tornamo-nos um bicho selvagem, destruidor.

Seu irmão,

Wellington Jardim (Eto)
Cofundador da Comunidade Canção Nova e administrador da FJPII

Adquira os livros de Wellington Jardim (Eto):

Animados    Administrar    Se Deus

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.